Neurocirurgia Funcional

Médico examinando exames de ressonância magnetíca

A neurocirurgia funcional é responsável pelo tratamento de problemas que alteram o funcionamento do sistema nervoso. Dentre eles, destacam-se dor crônica, espasticidade, distúrbios de movimento (doença de Parkinson, tremor essencial e epilepsia). Geralmente são aplicados métodos de tratamento minimamente invasivos e de baixo risco, como estimulação elétrica ou química, uso de eletrodos na coluna e no cérebro, sistemas de infusão de medicação analgésicas em coluna e radiofrequência.

A neurocirurgia funcional tenta reduzir o impacto de anormalidades como as do movimento, da sensibilidade (especialmente da dor, do humor, da organização do ritmo elétrico neuronal (epilepsia), por meio de técnicas especiais, usualmente diferentes das empregadas em neurocirurgia comum. Embora nesta subespecialidade não seja a regra alcançar a cura, é altamente comum conseguir melhorar os sintomas, o sofrimento, a funcionalidade e a independência.